RSS

Arquivo mensal: dezembro 2009

Fabricante investiga acusação de “racismo”

Fabricante investiga acusação de “racismo” em software
SOS Racismo – Notícias

Um “bug” no programa de facial-tracking (detecção de movimentos do rosto do usuário) da HP causou certa polêmica nesta semana. Um usuário, chamado de Black Desi (Desi Negro) postou um vídeo no YouTube em que o recurso é testado por ele com uma constrangedora falha.

Quando Desi, negro, se move na frente da câmera, ela permanece imóvel. Já ao aparecer Wanda, uma mulher branca, o recurso funciona perfeitamente.

– Acho que a minha negritude está interferindo no funcionamento da câmera – diz Desi.

Confira o vídeo abaixo.

A empresa, um dos maiores fabricantes de computadores do mundo, postou nesta segunda-feira que estava examinando o programa, desenvolvido para localizar o rosto por medir o contraste entre os olhos, bochechas e o nariz.

Segundo a HP, a câmera talvez tenha dificuldade em detectar este contraste em ambientes pouco iluminados.

O vídeo foi postado no dia 10 de dezembro sob o título “HP Computers Are Racist” (ou, computadores da HP são racistas, só para esclarecer, não fui eu quem chamou o computador de racista, mas sim o usuário que aparece no vídeo testando a máquina). Desde sua publicação foram mais de 270 mil visualizações.

Fonte: Infosfera

Geledes
http://twurl.nl/bdcley

 
Deixe um comentário

Publicado por em dezembro 29, 2009 em Uncategorized

 

Não sabia falar alemão e virou presidente

Lula discursa para empresários hamburgueses em sua visita à Alemanha encerrada na última sexta-feira depois de assinar em Berlim diversos acordos, inclusive o de previdência social, entre os dois países.

Mamapress Hamburg (em Associacao Pindorama Press Agentur Berlin)
http://twurl.nl/sb86h7

 
Deixe um comentário

Publicado por em dezembro 8, 2009 em Uncategorized

 

Carta de Hamburgo ao Presidente Lula

Carta de Hamburgo ao Presidente Lula
Publicado em 2009/12/04 por concidadam

Visita do presidente Lula à Berlim para assinatura do acordo da Previdência Social entre o Brasil e a Alemanha(foto ras adauto/Pindorama/Mamapress)

Carta das brasileiras e brasileiras de Hamburgo e Adjacências ao Exmo. Presidente Luiz Inácio Lula da Silva

Nós cidadãs e cidadãos brasileiros de Hamburgo e adjacências, ante as crescentes dificuldades para receber serviços consulares desde o fechamento do Consulado Geral em Hamburgo, apresentamos a V. Excia, por este meio, nossas mais prementes reivindicações:
I. Reabertura do consulado Geral em Hamburgo.
Dois graves motivos nos levam a apresentar encarecidamente esta demanda a V. Excia:
• Por um lado, o fechamento do consulado em Hamburgo acarretou para a Embaixada do Brasil em Berlim, que já arcava em seu setor consular com tres jurisdições da antiga Alemanha Democrática, um acúmulo adicional de serviço com a incorporação de mais quatro jurisdições, Hamburgo, Bremem, Schleswig Holstein e Baixa Saxônia.
• Por outro Lado, o norte da Alemanha, que tem por núcleo as cidades portuárias de Hamburgo e Bremem/Brememhaven, é uma área extremamente dinâmica de entrocamento hidro-rodo-aéro-ferroviário entre o leste e o oeste, assim como o norte e o sul da Alemanha e da Europa, e tornou-se com a queda do muro de Berlim, em um imã quase irresistível tanto para numerosíssimos migrantes brasileiros e brasileiras como para estratégicos negócios nas áreas econômica e cultural.
Consequências:
A demanda por serviços consulares aumentou de tal maneira, que o Setor Consular da Embaixada de Berlim para atender os clamores de nossa comunidade, viu-se obrigado inclusive a montar uma consulado itinerante, que embora louvável e efetivo, não é suficiente para substituir a presença local de um Consulado Geral, mantendo em muitos casos a necessidade de um deslocamento da pessoa até Berlim, o que acarreta consideráveis custos tanto para indivíduos quanto para firmas

Nossa necessidades prementes e a longo prazo até que se instale um Consulado Geral em Hamburgo são:

I. Enviar um Consulado Itinerante a cada dois meses para nossa cidade para:

• Emissão de passaportes
• Registros civis
• Representação judicial para casos de deportação inclusive.( Salvos-Condutos etc.)
• Registro de nossos filhos e filhas, assim como certidões de falecimentos.
• Acompanhamento da situação eleitoral dos cidadãos.
• Acompanhar os estudantes brasileiros, notadamente os que venham das classes mais desfavorecidas no Brasil.
• Apoio aos pequenos empresários brasileiros no norte da Alemanha.
• Apoio ao pequeno empresário brasileiro que vivendo no Brasil tenha interesse
em trocar experiências com os brasileiros que aqui vivam.
• Elaboração de estatísticas sobre os brasileiros na Alemanha.

II. Apoiar o Conselho de Cidadãos existente em Hamburgo e estimular sua criação nas grandes cidades do norte da Alemanha, como Kiel e Lübeck e Hannover, com os seguintes objetivos principais:
• Representar de forma transparente, os brasileiros e brasileiras junto ao consulado e à sociedade alemã.
• Defender os interesses da Comunidade Brasileira.
• Atender os migrantes em situações difíceis independente do seu status migratório..
• Mostrar e defender o Brasil multiétnico, e representativo do migrante brasileiro dos últimos vinte anos, ajudando a divulgar o que somos, cidadãos e cidadãs espelhos e transmissores das culturas dos povos que vivem no Brasil.
• Estimular o diálogo entre as culturas do Brasil e da Alemanha.
• Dinamizar os contatos com as representações brasileiras que venham visitar oficialmente a Alemanha.
• Representar os brasileiros juntos aos conselhos de migrantes da Alemanha
• Divulgar as culturas do Brasil no norte da Alemanha.

III. Reconhecimento pelo Ministério da Edução Brasileiro da Escola Pública Bilíngue, Rudolf-Ross em Hamburgo, como escola que capacita em alemão e português nossos filhos e filhas, do pré-escolar até o momento de entrada na universidade.
A escolar Rudolf-Ross é bastião das formas de se falar o português em nossa região, e já conta com um setor em que cerca de 600 crianças se preparam para um mundo futuro em que saber duas línguas será um pré-requisito para bem se colocar no mercado de trabalho.

a- Estimular a trocas de estudantes de todos os graus entre Brasil e Alemanha, e estimular o ensino bilíngue. Informar as escolas bilíngues sobre as atualizações de nossa lei de Diretrizes e Bases.
b- Envio de material de ensino brasileiro para o setor de Educação Primária da Escola Rudolf-Ross, que já esperamos há 8 anos.
c- Incentivar a vinda de professores e estudantes de língua portuguesa para fazerem estágios na escola Rudolf-Ross.
d- Divulgação no Brasil do que é realizado na Escola Bílíngue Rudolf-Ross

IV. Reconhecimento da necessidade em termos representações parlamentares em Brasília eleitas no exterior, a exemplo do que fazem as democracias avançadas em nosso mundo globalizado. Comunicação por internete é bom mas não resolve as nossas demandas mais agudas.

Justificativa:

Por motivos econômicos ou políticos que não sabemos quais, o atual governo brasileiro assumiu decisões tomadas no governo anterior, ao manter fechados os Consulados Gerais de Colônia e Hamburgo.
No mundo de 2009/10 o Brasil assume um papel de ponta nas relações sociais, políticas e econômicas no mundo.
Nós migrantes aqui na Alemanha somos quase cem mil inscritos segundo o governo alemão . Notadamente em Hamburgo e Colônia, representamos o povo brasileiro nos dois maiores entrocamentos ferroviários e fluviais das Europas do leste e do oeste.
O Rio de janeiro e outros estados tem acordos de cooperação com essas regiões.
A falta de Consulados Gerais nestas regiões do mundo não condiz com a importância de nossas relações internacionais.
Visitas de nossos governadores de estados necessitam de uma maciça participação dos brasileiros e brasileiras que aqui vivem, para apoiá-los, pois nós conhecemos os “jeitinhos alemães”.
Quanto aos miúdos da política e sobre o que representa um Consulado Geral para o migrante trabalhador aqui em Hamburgo, perguntamos apenas quanto custa de tempo pelos correios, para se obter uma simples procuração para que nossas mães possam agir no Brasil em nosso nome?
E para lembrar a economia caseira de um migrante, citamos apenas quanto custa por baixo, votar para presidente para quem vive no norte da Alemanha:

Passagens de ida e volta à Berlim (trem) 100 € (com desconto)
Alimentação 30 €
Guaraná com os amigos 20 €
Faltar ao trabalho ? €

Multipliquem tudo isto por por 2 turnos e calculem o motivo da absoluta abstinência dos migrantes de Hamburgo, em relação a este direito fundamental do cidadão que é votar.
Este direito conquistado a ferro e fogo e que custou tantas vidas e tanto sofrimento! E que na história do Brasil só pode ser exercido em algumas fases, que poderíamos chamar de “episódicas”.
Minha gente, o Brasil está nadando em petróleo e etanol e outras “especiarias”, e podemos dizer que enquanto migrantes aqui no norte da Alemanha, ainda não saimos da periferia política de onde a maioria de nós, migrantes pós-noventa viemos.
Está na hora de recebermos mais carinho, e juntos com migrantes brasileiros de todo o mundo elegermos nossos representantes para atuarem e defenderem, nossos interesses de brasileiros e brasileiras no mundo, no parlamento brasileiro.
Terminamos pedindo que nosso presidente se engaje no apoio à realização da eleição de nosso Conselho de Brasileiros no Mundo, prevista para maio de 2010.
O presidente sabe por experiência própria de migrante, o quanto vale para o ser humano, o direito de votar e ser votado e de escolher seus próprios representantes. Não viemos só pedir. Queremos agir e ser ouvidos, e o reconhecimento e apoio do Estado Brasileiro de sua cidadã e cidadão migrantes, nos ajudará a sermos reconhecidos como seres humanos em qualquer lugar que vivamos neste mundo globalizado.
Nós brasileiros e brasileira de Hamburgo, estamos a viver um momento de consciêntização democrática. Aqui escolhemos nossos próprios representantes junto aos Consulado de Berlim, e fomos à II Conferência Mundial encontrar os nossos pares. Os mais próximos como a Áustria também desejam este processo democrático de cidadania. Percebemos que aos poucos os serviços consulares se renovam e aproximam-se mais das brasileiras e brasileiros migrantes. Ainda é pouco, mínimo mesmo. Cremos entretanto, prezado presidente, que sua experiência de migrante e cidadão irá reforçar cada vez mais a nossa emancipação cidadã, e ajudará a convencer a todos os serviços consulares do Brasil, que nós as pessoas migrantes, carregamos, sem passaporte diplomático,
em nossos corpos e malas, as embaixadas culturais e econômicas do Brasil no mundo.
Confiamos, digníssimo presidente Lula, em sua clarividência e engajamento pessoal, tão sensível às demandas populares e às necessidades econômicas de cada um.
Confiamos que escutará nossas demandas, e tenha uma boa estadia, mesmo com frio, na cidade que escolhemos ou fomos levados a viver.

Hamburgo 4 de Dezembro de 2009
Conselho de Cidadãs e Cidadãos Brasileiros de Hamburgo

Breitestrasse 70
22767 Hamburgo
Alemanha
http://www.concidam.wordpress.com

Arquivado em: Arquivo Geral

Dezembro 6, 2009

 
1 comentário

Publicado por em dezembro 6, 2009 em Uncategorized

 

Lula levantou o astral da prefeitura de Hamburgo

http://twurl.nl/vqqn0s

 
Deixe um comentário

Publicado por em dezembro 6, 2009 em Uncategorized

 

Assinado acordo da Previdência entre Brasil e Alemanha

Assinado acordo da previdência entre Brasil e Alemanha

Por Sandra Mezzalira Gomes
Fotos: Ras Adauto

Foi assinado nesta quinta-feira pela manhã o acordo bilateral previdenciário entre a Alemanha e Brasil, que já estava sendo negociado desde 2008. “Agora é preciso fazer os ajustes administrativos”, explica Carlos Eduardo Gabas, secretário-executivo do Ministério da Previdência Social, referindo-se as regras operacionais que viabilizarão o processo.

Com a presença (e assinaturas) do ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Guido Westerwelle (FDP), do vice Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, dos principais articuladores do processo, os secretários Helmut Schwarzer pelo Brasil e Helmut Weber pela Alemanha firmou-se o documento que regulamentará a previdência social para contribuintes dos dois países a partir de 2010.

Satisfeitos com os resultados, Gabas e Schwarzer elogiam o desempenho dos colegas tedescos. “Helmut Weber trabalhou com muito entusiasmo e dedicação, se mostrou convencido da importância do relacionamento Brasil e Alemanha”.

Gabas salienta que hoje foi a “primeira vitória” e o processo foi “rápido” mas frisa que ainda há etapas a serem concluídas antes dos contribuintes realmente contarem com o benefício. “Após passar pelos ajustes é perciso ser ratificada no parlamento, mas cabe a eles no Congresso acatarem o que é bom para os brasileiros e neste caso, devem aprovar rapidamente.”

Tanto o parlamento alemão quanto o brasileiro tem de ler e ratificar o texto. A primeira rodada de negociações ocorreu em julho de 2008, com a visita de Schwarzer a Berlim. Em outubro do mesmo ano foi realizado o primeiro encontro formal em Brasília. Em fevereiro deste ano, após uma semana de trabalho na capital alemã, Schwarzer já previa a consolidação do processo ainda em 2009.

A idéia é que o tempo de contribuição seja considerado, proporcionalmente, independentemente se o contribuinte trabalhou no Brasil ou na Alemanha, considerando a soma dos anos da mesma e possibilitando que se receba as devidas parcelas dos respectivos governos. A medida deve beneficiar os milhares de migrantes dos dois países.

Casos de doenças e trabalhadores temporários também estão previstos no acordo (leia abaixo). Justamente pelo sistema alemão não ser único, será preciso negociar com três diferentes parceiros conforme explicam os secretários: Krankekasse (responsável pelos trabalhadores “temporários), Rentversicherung (para aposentadorias e pensões) e Unfallversicherung (doenças e acidentes de trabalhos).

A prioridade, comentam Schwarzer e Gabas, é o ajuste para aposentadorias e pensões. “Temos milhões de casos de brasileiros e alemães que trabalharam nos dois países e serão beneficiados com este acordo”, diz Schwarzer, ele mesmo, nascido na Alemanha da qual saiu ainda com seus oito anos.

Em seguida vem o acordo com os trabalhadores em deslocamento. “Se tudo correr bem, fechamos tudo até junho. Mas dividimos os três em abril, junho e setembro. Conforme eles forem sendo aprovados, os contribuintes poderão receber os benefícios.”

Como funcionará:

A soma dos tempos de contribuição pode permitir o preenchimento do tempo mínimo exigido para passar a ter direito a um benefício previdenciário ou até mesmo impactar na melhoria do valor inicial da aposentadoria (no Brasil, o valor das aposentadorias aumenta com maior tempo de contribuição).

Na Alemanha, o brasileiro protocolará seu pedido junto à Previdência alemã, que encaminhará o requerimento a um escritório especializado, no qual funcionários aptos, no idioma português, analisarão os casos de aposentadoria “dupla”.

Já no Brasil, solicitações feitas em qualquer agência da Previdência Social serão encaminhadas para os escritórios do INSS São Paulo, Florianópolis e Brasília, que serão capacitados para o atendimento do Acordo com a Alemanha.

Para operacionalizar o acordo, os sistemas previdenciários do Brasil e Alemanha passarão a cooperar administrativamente quando de pedidos de aposentadorias, pensões e benefícios por acidente de trabalho, que envolvam tempos de contribuição nos dois países.

Outra mudança é a retirada de um obstáculo às pessoas, brasileiros ou alemães, após contribuir na Alemanha, passam a residir no Brasil e são aposentadas nos moldes da legislação alemã. “Atualmente, conforme a lei alemã, esta pessoa recebe apenas 70% do que deveria se residisse na Europa. Com o acordo, passará a receber os 100% também se estiver residindo no Brasil”, observa o Secretário.

Schwarzer explicou, ainda, os casos de deslocamento temporário. Por exemplo, um trabalhador autônomo brasileiro, que estiver contribuindo no Brasil e muda por período não superior a dois anos para a Alemanha, pode solicitar no Brasil o “certificado de deslocamento” e, durante esse período, poderá continuar, por intermédio de um procurador, contribuindo no Brasil.

No caso de um trabalhador contratado, sua empresa empregadora solicita o referido certificado e continuará efetuando as contribuições previdenciárias no Brasil em nome do empregado. Ou seja, nos dois casos o trabalhador continuará vinculado ao regime previdenciário de origem e os tempos de contribuição serão contados para aposentadoria.

Números:

Calcula-se que oito mil alemães e cerca de seis mil e quinhentos brasileiros sejam contribuintes ativos para a aposentadoria no Brasil e na Alemanha, e estariam entre os beneficiados com o acordo. Aproximadamente vinte mil brasileiros possuem histórico de contribuição com a aposentadoria em solo germânico, de acordo com o secretário e sua equipe em fevereiro deste ano. “Mas o número deve ser bem maior pois aí não estão incluídos os brasileiros com dupla cidadania”, lembra Schwarzer.

Ele ressalta ainda que o brasileiro sempre pode contribuir também no Brasil como “facultativo”. Além disso, alerta para aqueles que pensam em “recuperar” o dinheiro investido na aposentadoria na Alemanha. “Se a pessoa pedir a restituição, ela abre mão dos direitos e no fim sairá em desvantagem, porque não poderá contar o tempo de contribuição para fins de aposentadoria sob o futuro Acordo”.

Outra questão importante é que os documentos comprovando tempo de contribuição devem ser bem guardados. “Nem tudo está digitalizado e armazenado, o que pode dificultar a comprovação da contribuição no momento oportuno”, frisa Schwarzer.

Outros países
O acordo com a Alemanha teve de considerar, também, os contextos da União Européia e do Mercosul. O Brasil já possui tratados semelhantes, há décadas, com Portugal, Itália e outros países, experiências até hoje bem sucedidas.

Gabas explica que Lula sempre teve a política de ampliar a cobertura da previdência social, tanto no Brasil quanto para os brasileiros que estão no exterior. “No Brasil ampliamos o teto de 60% para 67%”.

Ultimamente o Brasil negociou com Bélgica, Chile, Espanha e Canadá. Neste último, fechou igualmente com a colônia inglesa canadense. Os próximos documentos a serem assinados que já estão em andamento são acordos com o Japão e os Estados Unidos, ambos conhecidos pelo grande número de brasileiros.


Os secretários Carlos Eduardo Bagas e Helmut Schwarzer explicaram após a reunião como foi o encontro e quais são as próximas medidas para o acordo ser colocado em prática.

O presidente Lula também esteve em Berlim no Portão de Brandemburgo (veja mais imagens neste mesmo blog), no Monumento em memória das Vítimas da Guerra e do Despotismo “Neue Wache” e encontrou-se com a chanceler Angela Merkel. O fotógrafo Ras Adauto que fez as fotos a seguir.


posted by Sandra Mezzalira Gomes | 5:41 PM | 0 comments

Lula em Berlim

Confira alguns cliques. (fotos SANDRA MEZZALIRA GOMES)

Entre os vários compromissos do presidente Lula na Europa, estava hoje o encontro com a chanceler Angela Merkel.

Antes, cerca de uma hora atrás (11:30), ele passou pelo Portão de Brandemburgo, onde diversos jornalistas se aglomeraram por quase uma hora no frio.

As bandeiras do Brasil espalhadas em torno do Portão revelava a presença do chefe de estado brasileiro.

Equipe da TV Band grava a “passagem”

Diversas bandeiras do Brasil estavam espalhadas no caminho para o Portão

Ele parou do lado de trás do Portão, ao lado da sua comitiva.





O presidente pousou para fotos e brincou descontraído com os fotógrafos e repórteres presentes.

Turistas também aproveitaram a chance para ver o presidente brasileiro de perto.

Policiais isolaram a área e acompanharam o presidente.

FONTE:
http://conectandobrasileeuropasandragomes.blogspot.com/

 
2 Comentários

Publicado por em dezembro 6, 2009 em Uncategorized

 
 
%d blogueiros gostam disto: