RSS

Moradores do acampamento pinheirinho em resistencia contra reintegração de posse

14 jan

“Ocupar, Resistir!”

Por Nilton Cardin, 13/01/2012 às 11:11

Moradores do acampamento do Pinheirinho, localizado na zona sul de São José dos Campos, aguardam com cães e armas improvisadas a reintegração de posse do local.

Segundo a prefeitura são pelo menos 1.600 famílias em situação irregular e que já foram avisadas pela Justiça para deixar a área invadida do Pinheirinho. Algumas barreiras foram montadas pelo terreno. A ordem da juíza da 6ª Vara Cível da cidade revoltou os moradores.

Sitiado, Pinheirinho prepara resistência à operação da PM

Beatriz Rosa 13/01/2012 11:24

Diante de ameaça de reintegração de posse, famílias sem-teto montaram uma verdadeira operação de guerra para permanecer na ocupação, a maior do Vale; ação da polícia pode ocorrer a qualquer momento

Os sem-teto do acampamento do Pinheirinho, na zona sul de São José, montaram uma operação de guerra para resistir à possível reintegração de posse da área, ocupada desde 2004.

Ontem, um oficial de Justiça notificou os moradores a deixarem a área imediatamente. Mas, no acampamento, a ordem é resistir.

O entorno do acampamento foi cercado com lanças de bambus e o único portão de acesso ao local foi mantido trancado, com dez homens controlando a entrada e saída de moradores. Atualmente, cerca de 5.500 pessoas vivem no Pinheirinho.

Bloqueio. Todos os acessos às ruas do acampamento foram bloqueados com trincheiras construídas com chapas de madeira, telhas, pneus e tambores.

E para dificultar ainda mais a ação da Polícia Militar, algumas vias internas foram fechadas com sofás e cadeiras. A entrada em cada um dos setores do local tem que ser autorizada.

Por todo o acampamento era possível observar moradores com armas improvisadas, como porretes de madeira com prego nas pontas, barras de ferro, facões, espetos, enxadas, machados, pedras e estilingues.
No local, o clima é tenso. E a presença da polícia no entorno fez algumas famílias deixaram a área, levando apenas os filhos e alguns pertences.
Um grupo de moradores realizaria rondas pelas ruas do acampamento durante toda a madrugada.

Estratégia. Líder dos sem-teto Valdir Martins, o Marrom, afirmou que o único plano é a resistência. “As famílias não têm para onde ir. Nenhuma opção de moradia foi oferecida a elas”, disse.

Ele acredita que se a polícia invadir a área haverá derramamento de sangue. “As famílias irão resistir até o fim.”

Marrom descartou utilizar crianças, idosos e mulheres como barreira humana. Segundo ele, todo o grupo será alojado em uma igreja construída no acampamento. A estimativa é que cerca de 350 pessoas articulam a resistência.

O clima de guerra não assusta a maior parte dos moradores. ?Eu acho que temos de insistir, porque pobre precisa de moradia. Eu mesmo não tenho para onde ir se a polícia me mandar embora?, disse a dona de casa Maria Gonçalves de Jesus, 75 anos.

A dona de casa Joelma Almeida Silva, 22 anos foi uma das primeiras a chegar ao alojamento improvisado,  junto com os dois filhos. Chorando, ela disse que não tem para onde ir com sua família.

“Aqui [igreja] eles tem que nos respeitar, e não podem nos atacar. Não tenho para onde levar os meus filhos.”

A ESTRATÉGIA DOS SEM-TETO

Defesa
Todo o entorno do acampamento foi bloqueado com lanças de bambu. A entrada da área é controlada por cerca de dez homens

Bloqueios
Barricadas e trincheiras foram construídas pelos moradores com o uso de pneus, madeira, telha e tambores. As ruas internas também foram bloqueadas com móveis

Armas
Lanças de madeira e bambu, machados, enxadas, porretes de madeira com prego, facões e pedras são as armas para garantir a permanência

Apoio
Sindicalistas, integrantes de movimentos sociais e religiosos devem engrossar o cordão humano contra o cumprimentos da ação de reintegração de posse que será feita pela PM

Notificação provoca tumulto
São José dos Campos

A notificação da ordem de desocupação causou momentos de tensão ontem à tarde no Pinheirinho.
Fogos de artifícios e apitaços anunciaram a chegada da Polícia Militar por volta das 15h, deixando moradores apreensivos.

Catorze homens da Força Tática da PM empunhando armas e escudos escoltaram um oficial de Justiça até o canteiro central da avenida do Imperador, em frente à entrada principal do acampamento, de onde foi feita a leitura da ordem judicial.

Neste momento, algumas famílias deixaram o local. Outros moradores queriam partir para o confronto, mas as lideranças contiveram o grupo.

Suspense. Segundo o major Paulo Henrique Domingues, comandante da PM na região do Pinheirinho, a partir da notificação todas as famílias devem deixar a área imediatamente. Ele não informou quando será realizada reintegração de posse.  Pode ser realizada a qualquer momento.

Assustados com a movimentação da PM, comerciantes do entorno do acampamento fecharam as portas. Muitos pontos permaneceram fechados no restante do dia.

Sexta-feira 13 no Pinheirinho

O video mostra a vigília durante a madrugada e a “Tropa de Choque” do acampamento se mobilizando no começo do dia.
Videoreportagem gravada na sexta-feira 13 de janeiro de 2012 no acampamento do Pinheirinho.
Imagens: Victor Moriyama
Edição: Claudio Capucho

http://www.ovale.com.br/nossa-regi-o/sitiado-pinheirinho-prepara-resistencia-a-operac-o-da-pm-1.205620

© Copyleft http://www.midiaindependente.org:
É livre a reprodução para fins não comerciais, desde que o autor e a fonte sejam citados e esta nota seja incluída.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: