RSS

Urgente : Polícia da Bahia tenta, nesse momento, invadir comunidade Quilombola Rio dos Macacos

04 mar

Fotografia do livro Terras de Preto de Ricardo Teles

Urgente : Polícia da Bahia tenta, nesse momento, invadir comunidade Quilombola Rio dos Macacos

Postado por Luciane Reis/em 4 março 2012 às 9:30/Correio Nago

Marcada para a hoje, 04.03.2012, e suspensa por ação da Presidência da Republica (Secretaria Geral, SEPPIR E FCP), a tomada do Território do Quilombo Rio dos Macacos está neste momento vivendo uma grande tensão, pois neste momento já tem mais de 03 caminhões de fuzilheiros dentro da Comunidade, cada um com cerca de 80 homens, do lado de fora tem os militares da Bahia (que não podem entrar) e 01 trator posicionado no portão da Vila Naval, área tomada da comunidade há 42 anos atrás.

A Marinha do Brasil, não pode tomar o Território de Rio dos Macacos, porque ela como instituição Brasileira não está acima das demais instituições nacionais, vivemos sob a vigencia do estado democrático e as instituições estão em funcionamento.

O artigo 68 da constituição de 1988 e o Decreto 4887/2003 garante o direito de ocupação secular da comunidade. Rio dos Macacos está naquele Território há mais de 238 anos e não pode ser derrotado, por um crime de uma instituição que, ao contrario, deve garantir e fazer valer as Leis do país, por isso precisamos das/dos jornalistas agora em Rio dos Macacos. Todo o mundo precisa saber, para impedir uma tragédia hoje em Salvador, aos nossos olhos!!!

Nossa luta é todo dia!!!

Vilma Reis
Profa. Sociologia
Departamento de Ciências Humanas e Tecnologias
Campus XXIII, UNEB – Seabra
Coordenação Colegiada do Programa CEAFRO
CEAO: Centro de Estudos Afro-Orientais – FFCH/UFBA

(Polícia cerca Quilombo Rio dos Macacos para reintegração de posse

Da Redação/A Tarde

Agentes da Polícia de Choque da Polícia Militar (PM), tratores e policiais da base militar da Marinha fizeram um cerco,  na manhã deste domingo, 4, à comunidade no quilombola Rio dos Macacos, dentro da área da Base Naval de Aratu, localizada no bairro de São Tomé de Paripe, no limite da cidade de Simões Filho (a 21 km de Salvador).

A Marinha entrou na justiça com pedido de reintegração de posse da área, cujo prazo terminaria neste domingo. Este prazo, no entanto, havia sido adiado por cinco meses, após reunião realizada na última terça-feira (27), com representantes do governo federal.

Os cinco meses seriam utilizados para finalizar o Relatório Técnico de Identificação e Delimitação do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), a fim de identificar se a área pertence mesmo aos quilombolas e há quanto tempo eles estão no local.

No local vivem cerca de 50 famílias. Apesar do impasse, o Governo Federal assegurou que todos os direitos da comunidade serão preservados. Ainda não houve a reintegração de posse.

Tensão  – Na manhã deste domingo, integrantes do Movimento Desocupa Salvador tentaram distribuir alimentos no local, mas não conseguiram entrar na Base porque foram impedidos pela polícia, segundo a integrante do Movimento Desocupa Salvador, Michele Perroni.

A Marinha entrou na justiça porque pretende expandir um condomínio para os seus oficiais no território, região limítrofe entre Salvador e Simões Filho.

A socióloga Vilma Reis se poscionou a favor dos quilombolas, afirmando que a “Marinha do Brasil não pode tomar o Território de Rio dos Macacos, porque ela como instituição Brasileira não está acima das demais instituições nacionais”.

Manifestação – Em janeiro, os integrantes da comunidade aproveitaram a presença da presidente Dilma Rousseff na Bahia para denunciar a pressão que a Marinha estaria fazendo para que eles deixassem a área, localizada dentro da Vila Militar.

Na ocasião, um grupo de 50 quilombolas realizou manifestação na área do pier marítimo de São Thomé de Paripe, com faixas reivindicando à presidente uma “solução” para o conflito de terras que, segundo eles, ocorre desde a década de 70, quando foi criada a Base Naval de Aratu.

De acordo com os moradores da área, as famílias estão no local desde a época da abolição da escravatura, há mais de 100 anos.)

 

2 Respostas para “Urgente : Polícia da Bahia tenta, nesse momento, invadir comunidade Quilombola Rio dos Macacos

  1. Andreia de Jesus

    março 5, 2012 at 1:50 pm

    Uma injustiça

     
  2. Ana Lúcia Ollero Gomez

    março 7, 2012 at 2:56 pm

    “BRASIL,MOSTRA A SUA CARA
    VAMOS VER QUEM PAGA
    PRA GENTE FICAR ASSIM”….

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: